A História

“O projeto Meus Valores nasceu do desejo de ter uma vida profissional alinhada aos meus valores pessoais. Eu queria contribuir no bem-estar do meu próximo, através das minhas competências, agindo de forma honesta, responsável e sustentável. Ainda na infância aprendi valores importantes que nortearam as minhas escolhas e contribuíram na realização dos meus objetivos. Em minhas reflexões percebi que a minha história era uma história de valor e que, por meio dela e dos meus conhecimentos sobre finanças, eu poderia ajudar as pessoas a realizarem os seus sonhos e a terem um bem-estar financeiro e pessoal. Em 2017 surgiu a ideia e um grande sonho…que agora é uma realidade!

Eu nasci em 1986. Até os meus vinte e poucos anos eu morei na zona rural, em um lindo sítio, na cidade de Mogi Mirim, SP. Eu cresci com meu pai, minha mãe, meu irmão e minhas duas irmãs. Ali, em um ambiente cristão, cheio de amor e também com muita dor, eu aprendi valores que levarei para a eternidade.

Desde pequena eu aprendi a acreditar, a sonhar e a realizar. Meus pais eram pobres, sim, mas essa condição financeira nunca os impediu de lutar pelos seus sonhos, agindo sempre de maneira honesta e responsável.

Meu pai dizia: “Nunca dê o passo maior do que a perna alcança”. Financeiramente falando, isso me ensinou a não comprometer um valor que eu não tivesse condições de pagar. Existe um verso bíblico que diz: “Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la?” – Lucas 14:28.

Planejar e honrar as dívidas. O contrário, não era sábio, e poderia ter consequências negativas. As palavras do meu pai me ensinaram a ser realista, me mostraram limites, e eu entendi que respeitá-los era algo muito saudável para o “bolso” e para a vida.

Mesmo ganhando pouco, sempre vi meu pai guardar dinheiro. Ele tinha uma poupança. Ele tinha um sonho: construir uma casa. Com toda certeza, ele e toda a nossa família abrimos mão de muitos prazeres imediatos para desfrutar desse sonho no futuro. Mas o caminho…ah, o caminho! É no caminho que a semente germina, e os valores crescem, criam raízes, frutificam, servem e se eternizam.

Nesse caminho, rumo ao sonho, eu aprendi sobre organização, planejamento, controle, disciplina, paciência…aprendi sobre o valor do tempo, dos talentos, dos bens materiais e sobretudo, o valor da vida.

Quanto vale a sua vida?

Aos 9 anos comecei a trabalhar com vendas. Minha irmã vendia produtos do Paraguai e eu ajudava, oferecendo alguns itens para os colegas da escola. Em troca eu ganhava um agrado. Com o tempo comecei a ganhar dinheiro. Com o dinheiro eu comprava desejos: um sorvete, um chocolate, uma roupa, um diário, uma cartela de adesivos…

De lá pra cá eu já vendi muitas coisas como joias, bijuterias, roupas, lingeries, Avon, Natura, Demillus, biscuits, pão de mel, trufas, lanches naturais, ovos de Páscoa, perfumes e maquiagens importados, jogos de tolha de banho e guardanapos (que eu mesma bordava)… Acho que não vou me lembrar de tudo! Aprendi muito com as vendas. Um vendedor é um ser muito competente. E eu também ganhei algum dinheiro fazendo faxinas e cuidando de jardins.

Eu tinha um grande sonho: fazer uma faculdade.

O meu tio, irmão do meu pai, foi quem me influenciou nesse desejo. Ele foi a primeira pessoa da família que se graduou. Ele fez Matemática. Ele tinha um bom trabalho, uma casa bonita…ele tinha um olhar diferente sobre a vida. Assim como o meu pai, ele calculava e planejava a realização de um objetivo. Ele ajudava as pessoas e ele me ajudou muito! O meu tio é um grande exemplo para mim. Um exemplo real de como o conhecimento possibilita o crescimento, em todos os sentidos.

No ano de 2004, aos 18 anos, eu iniciei o meu primeiro estágio, no INSS – Instituto Nacional de Seguro Social, na cidade de Mogi Mirim, SP. Desde o meu primeiro salário eu me concentrei em utilizar desse recurso para realizar objetivos, para promover um bem-estar pessoal e para ajudar alguém ao meu lado. O meu pai me mostrou um caminho para realizar os meus sonhos, e minha mãe me mostrou um caminho para ajudar as pessoas a realizarem os sonhos delas.

Minha mãe é a mulher que doa. É a mulher que divide e milagrosamente multiplica. Foi ela quem sempre fez as compras no supermercado. E eu sempre fui (e ainda vou) com ela. Ela tem o hábito de fazer uma lista, de comprar o necessário para um determinado período, dentro de um limite de valor. Ela analisa preços e compara características e benefícios dos produtos. Minha mãe é uma verdadeira administradora.

Bruna, e quanto ao sonho de fazer uma faculdade? Você o realizou?

No começo, eu enxergava duas opções: prestar o vestibular e entrar em uma faculdade pública ou trabalhar, juntar algum dinheiro e depois pagar pela graduação.

No INSS, eu ganhava 145 reais por mês. Na época, a mensalidade de uma faculdade de Administração, por exemplo, custava em torno de 450 reais. Refleti sobre outras opções… Então, decidi poupar 100 reais do meu salário e, ao final de 12 meses eu tinha 1.200 reais.

O meu plano era o seguinte: se eu fosse aprovada no próximo vestibular, eu usaria os 1.200 reais para comprar um computador. Se não, eu investiria esse valor em 6 meses de “cursinho” (curso preparatório para o vestibular). Eu já tinha feito o vestibular da Unicamp, no ano anterior, e sido aprovada na primeira fase. Mas fui reprovada na segunda, por falta de pontuação em Física. Então, fazer um “cursinho” era uma boa opção, já que o meu salário era muito baixo e eu ainda estava iniciando a minha carreira profissional.

A vida dá muitas voltas, não é mesmo? O sonho leva, o sonho traz...

No final do ano eu prestei o vestibular, e novamente passei na primeira fase, mas não na segunda. Ainda assim, fiquei muito feliz, pois eu sempre estudei em escola pública e eu estava competindo com os melhores. No ano seguinte eu faria o cursinho e estaria mais preparada.

Mas, para a minha surpresa, no final daquele ano de 2004, foi criado o PROUNI – Programa Universidade para Todos. Lembro-me quando a minha tia, esposa daquele meu tio, me ligou para falar sobre o programa. Eu fiz minha inscrição, participei do processo seletivo e fui aprovada! Lá estava eu…na PUC-Campinas, cursando Administração de Empresas!

Bruna, e o que você fez com os 1.200 reais?

Eu comprei o meu computador! Você não tem ideia do quanto eu me senti feliz e realizada… Lembro-me de segurar e contar as notas de 100 reais e depois entregar para um amigo (hoje, meu marido), que negociou e adquiriu a melhor máquina com aquele valor.

É…eu mal imaginava que A HISTÓRIA estava apenas começando…

Já na faculdade, eu queria desenvolver um TCC – Trabalho de Conclusão de Curso sobre finanças. Mas eu não queria falar de finanças empresariais. Eu queria falar de algo que impactasse diretamente na vida das pessoas. Na época, eu e meu namorado (aquele amigo que negociou a compra do meu computador), estávamos planejando o casamento. Nós abrimos uma conta poupança e começamos a guardar algum dinheiro. Foi quando eu li o livro “Casais inteligentes enriquecem juntos”, do autor Gustavo Cerbasi. Ali, naquele livro, eu encontrei o que eu estava procurando. Descobri o termo, o tema que concentrava todas as minhas ideias: Planejamento Financeiro Pessoal.

Uau! Eu fiquei maravilhada!

Desenvolver esse trabalho foi bastante desafiador. Lembro-me de colegas zombando do tema que eu havia escolhido: “Você vai fazer um trabalho usando esses livros de cabeceira?”. De fato, haviam poucas literaturas sobre o assunto, mas pude contar com o apoio de professores da universidade e de grandes especialistas em finanças pessoais, como Cássia D’Aquino e Louis Frankenberg.

Eu coloquei o meu melhor naquele trabalho, toda a minha força, as minhas competências, o meu tempo e o meu amor. Mais de 250 estudantes participaram da minha pesquisa, por meio de um questionário com 24 perguntas fechadas.

O resultado não poderia ser diferente: no final do curso, no ano de 2018, o meu TCC foi premiado pelo Centro de Economia e Administração da PUC Campinas, com o tema inédito: “Planejamento financeiro pessoal para estudantes universitários que estão ingressando no mercado de trabalho”. Foi um momento muito importante e marcante na minha vida. Lembro-me do vídeo sendo reproduzido no telão do auditório da universidade, o meu nome sendo chamado e as pessoas aplaudindo. Sentados ao meu lado, os meus pais, os meus primeiros e maiores professores de educação financeira.

Reconheço que sou uma das pioneiras na educação financeira do Brasil. Sinto-me grata e feliz com essa contribuição. Nos últimos 10 anos, dezenas de alunos utilizaram desse material para pesquisas.

E o projeto Meus Valores? Em qual momento ele surgiu?

Eu e o Luiz Antonio nos casamos em 2010 e fomos morar na cidade de Itajubá, MG. Lá, fiz meu MBA em Finanças e trabalhei por mais de 5 anos no mercado de seguros, previdência e consórcio pela PAR Corretora (Corretora de Seguros da Caixa Econômica Federal).

Naquele solo mineiro, abençoado, eu sonhei e realizei muitas coisas. Foi lá que fiz a minha primeira palestra sobre Planejamento Financeiro Pessoal, no ano de 2012, em uma escola, para cerca de 60 pessoas. Foi lá que eu e meu marido compramos o nosso primeiro apartamento e construímos amizades para toda a vida.

Logo no início do casamento, eu vivi na pele a síndrome do pânico, pela qual sou muito grata. O pânico me tirou da zona de conforto e me fez embarcar em uma viagem encantadora para dentro de mim mesma. Na busca por respostas, fiz 2 cursos maravilhosos, os quais contribuíram intensamente no meu autoconhecimento, na reflexão sobre a minha vida e os meus valores: o DL (Desenvolvimento e Liderança) e o Practitioner em PNL – Programação Neurolinguística, ambos do INEHX – Instituto Nacional de Excelência Humana.

Então, eu senti que faltava algo.

A minha rotina profissional não estava alinhada aos meus valores. Eu queria usar mais e melhor das minhas competências. Eu queria colocar em prática aquilo que eu verdadeiramente acreditava. Eu queria ajudar mais as pessoas e o mundo. Eu queria viver intensamente a minha essência.

No mês de setembro de 2016, aconteceu em Itajubá o primeiro Fórum de Educação Financeira, Gestão de Riscos e Previdência Privada. Eu estava lá. Enquanto os assuntos eram apresentados eu sentia o sangue correndo em minhas veias. Como eu queria falar de planejamento e disciplina para as pessoas! Como eu queria falar de administração financeira! Como eu queria falar sobre sonhos e objetivos e ajudar as pessoas nessa realização! Eu saí daquele auditório energizada, tanto quanto eu havia saído do auditório da universidade, no dia da premiação do meu TCC.

Ali estava a resposta para o que estava faltando.

Ao final daquele fórum encontrei um grande amigo: Giovanni Coutinho. Ele estava trabalhando na preparação de conteúdo do site Dinheirama. Foi quando surgiu a oportunidade de eu escrever e publicar o meu primeiro artigo “Se você não tiver objetivos, será mais difícil enriquecer”. Mais uma vez, eu me senti muito feliz e realizada! Eu amo escrever e falar sobre o que eu verdadeiramente acredito!

Da conversa com o amigo Giovanni, conheci o educador financeiro Conrado Navarro, o qual, numa conversa informal no “Café do Vadinho”, falou-me sobre a doutora Vera Rita, especialista em Psicologia Econômica, e sobre o professor André Medeiros, o qual coordenava um projeto de finanças pessoais na Universidade Federal de Itajubá.

Por aqueles dias, também conversei com dois grandes amigos coachs: Diego Cândido e Rafael Gonçalves, que me ouviram e indicaram algumas leituras, como a do artigo “Seus valores definem o seu futuro”, publicado no site Evoluee.

Muitos insights surgiram desses “bate-papos de valor” e das leituras indicadas pelos colegas e profissionais. Compreendi valores importantes para mim e comecei a traçar estratégias para alcançar esses dois grandes desejos: o de ter uma profissão alinhada aos meus valores e o de desenvolver um projeto de educação financeira.

Saí do meu emprego em maio de 2017, em um momento de grande crise econômica e desemprego no país (alguns pensavam que eu estava louca). Meu marido tinha acabado de conseguir um emprego na cidade de Jundiaí, SP. Então, fomos para lá. Comecei a planejar e a desenvolver um projeto de educação financeira, no começo um pouco confuso, pois além de escrever sobre finanças pessoais eu também queria escrever sobre a vida. Aos poucos consegui organizar as ideias, formatando um plano de ação para cada assunto. No dia 01 de Janeiro de 2018, nasceu o blog Diário da Minha Essência, com o objetivo de amar através das palavras. Nesse blog eu compartilho histórias da minha infância, reflexões sobre a vida, versos e poesias. Trata-se de uma atividade missional, um filho para mim!

A ideia do projeto sobre finanças pessoais foi desenvolvida ao longo do ano de 2017 e, no dia 17 de abril de 2018 foi definido o nome: Meus Valores – Educação Financeira e Valores Pessoais. Definitivamente eu não poderia falar sobre finanças sem contar a minha história, sem falar dos meus valores.

Como os seus valores pessoais podem influenciar e contribuir no seu bem-estar financeiro?

Iniciei o projeto com algumas postagens no facebook, na página Meus Valores. Realizei algumas palestras sobre Planejamento Financeiro Pessoal e ajudei uma grande amiga, Amanda Navarro, em suas finanças e objetivos.

Em 2019, novas ideias surgiram para o projeto e foi solicitado o registro da marca. Paralelamente, fiz a formação em coaching e comecei a trabalhar para o IEV – Instituto de Especialização em Vendas. Atuar como coach me trouxe a realização profissional que eu tanto desejava! Neste trabalho eu me sinto plenamente alinhada aos meus valores, usando das minhas competências, colocando em prática a minha essência. Isso é incrível!

Depois de muito sonhar…planejar, estudar, refletir, o segundo filho nasceu, no dia 16 de Abril de 2020, no Dia Mundial da Voz, exatamente 2 anos após a escolha do seu nome.

O blog Meus Valores – Educação Financeira e Valores Pessoais nasceu com a missão de contribuir na realização de sonhos e no bem-estar financeiro e pessoal, por meio da educação financeira e da reflexão sobre a vida e seus valores.

Caros leitores e ouvintes, percebam que esse projeto não é resultado de uma ação pontual. É resultado de uma vida, de valores, de princípios, de reflexões, de escolhas. É fruto de uma história.

Definitivamente, esse projeto não é para eu te contar sobre como fiquei rica ou sobre como alcancei o meu “primeiro milhão”. Esse projeto existe para eu te contar sobre como a administração financeira foi importante na realização dos meus sonhos e para te ajudar a administrar melhor esse recurso, pois eu desejo que você também consiga realizar os seus sonhos e seja feliz!

Ao longo da minha vida, eu realizei grandes sonhos e superei muitos desafios: eu fiz uma faculdade, eu tirei a minha CNH, eu me casei, eu viajei, eu venci o pânico, eu fiz muitos amigos, eu ajudei pessoas, eu conquistei um bom trabalho, eu me tornei uma pessoa melhor… E eu quero, agora, te contar um segredo: todas esses sonhos e realizações só têm sentido porque a essência deles é o Amor.

O Amor é o valor-base desse projeto. O Amor à vida, não ao dinheiro. Do Amor brota o desejo de ajudar as pessoas a encontrarem um bem-estar financeiro e pessoal. Acredito na força desse valor!

Vamos juntos, construir histórias de muito valor!

Gratidão Deus! Gratidão Família! Gratidão a tudo e a todos!

Veja mais: http://meusvalores.com.br

“Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” – Bíblia, Mateus 6:33.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: