Amor não morre, oculta-se

Escrita em 04/02/2001 – Mogi Mirim SP. Você acha que um amor pode morrer? A menina acha que não. Quando o amor não é vivido, ele fica escondido…e dói, machuca. Porque não vive-lo? 

Uma vez que nasce,

Não morre mais, não deixa de existir.

Você estava aqui, perto de mim,

Me fazendo sorrir.

Pensei não saber,

Mas sempre senti,

Desde o primeiro momento que te vi.

Seus negros olhos, seu rosto…

Nunca ficamos juntos,

Mas sempre nos amamos.

Meus olhares que refletiam sobre ti…

Esse tempo passou,

E eu deixei você ir.

Cadê eu? Cadê você?

Meu amor, eu queria começar novamente,

E dizer tudo o que uma pessoa que ama sente,

E ser um pouco mais feliz.

Amor, só nasce uma vez,

E não morre, oculta-se,

Porque nem sempre dá certo,

E é necessário deixar nascer uma pedra,

Para fechar essa mancha de saudade, de ilusão.

Mas não adianta!

Tal pedra não pode, não consegue

Substituir um amor.

Parece tudo bem,

Mas não está.

A felicidade verdadeira

É oculta, silenciosa.

Dá medo…

Somos loucos a ponto de desistir

De descobrir a felicidade, o amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: