Aceito

Olá diário! Como vai?

Hoje desejo ser breve…

Tenho conversado com amigos e refletido sobre Aceitação, Frustração e Reclamação. O texto “Clamar e Reclamar” fala um pouco disso também.

É difícil aceitar a vida como ela é? É difícil aceitar as pessoas como elas são? É difícil aceitar os resultados? É difícil aceitar a família, o emprego, a situação financeira, o corpo “fora do padrão”? É difícil aceitar as perdas e ouvir “nãos”?

E não aceitar? A não-aceitação resolve os problemas?

Lendo alguns artigos sobre o assunto entendi que difícil mesmo é quando não aceitamos. A não-aceitação gera um conflito interno, produz pensamentos negativos e sentimentos desagradáveis como a raiva, a inveja e a frustração. A frustração é um estado emocional que ocorre quando os resultados esperados não são alcançados.

Infelizmente a mídia tem contribuído bastante nesse sentimento, criando padrões de beleza, de cabelo, de corpo, de comportamento, sempre atrelados a pessoas aparentemente felizes, e, quando não atingimos o padrão estabelecido ficamos frustrados, decepcionados…e lá se vai nossa motivação!

Sério, acredito que, o que de fato queremos e precisamos se chama fe-li-ci-da-de. E com certeza o caminho para alcançá-la nada tem a ver com mentiras e aparências…

Se as “mocinhas” com cabelos e corpos “perfeitos” aparecessem chorando e sofrendo, contando seus fracassos, será que ainda assim elas seriam nosso modelo padrão?

Lembre-se: todas as pessoas têm seus problemas, suas falhas, suas dores. Olhe e enxergue além do que lhe é apresentado.

Esses padrões são apenas estratégias criadas para influenciar o consumismo e ganhar dinheiro. Tal padrão, na vida real, nunca será alcançado 100%. Essa busca insistente por algo inatingível, nos faz reféns, escravos… desperdiçamos vida, tempo e dinheiro, e ainda nos sentimos frustrados, fracassados, vazios… Mediante o sentimento de perda e falta, buscamos nas vitrines e nas prateleiras dos supermercados algo para tapar o buraco. Mas é em vão! Somos reféns: reféns da armadilha de aceitar que o outro não nos aceite. 

Enquanto isso, lá estão eles, enchendo os bolsos de dinheiro e se divertindo… Eles quem? Será que realmente se divertem ou é mais uma estratégia para nos fazer acreditar que para ser feliz é preciso ter dinheiro?

A não-aceitação é observada também nas reclamações: “está chovendo de novo”, “está muito frio”, “o dinheiro acabou”, “ela é muito falsa”, “esse trabalho é ruim”, etc. Apenas apontar uma situação, como por exemplo “está chovendo de novo”, não quer dizer que não estamos aceitando. A não-aceitação ocorre, nesse caso, quando a reclamação vem acompanhada de um sentimento ruim.

Já, quando aceitamos, ficamos livres desse conflito, conseguimos restabelecer a energia e dar os próximos passos. Primeiro aceitamos, depois decidimos sobre as ações. Se sua carteira foi roubada, não adianta ficar chorando e reclamando…aceite! O fato já aconteceu, o tempo não volta. E agora, qual atitude você vai tomar?

“As coisas são como são”, diz a poesia da menina… É possível mudar?

Então aceite cada coisa como ela é. O fato de aceitar não quer dizer que concordamos com algo, que gostamos de tudo e de todos. Mas está relacionado ao entendimento de que o mundo é diverso, e nessa diversidade, podemos ver além do que vemos, ouvir além do que ouvimos, sentir além do que sentimos… Entendo que quando aceitamos, temos a oportunidade de conhecer o outro lado, de aprender, de unir e evoluir, de multiplicar forças e ampliar os nossos sonhos!

Se algo não saiu como você queria, não fique frustrado. Está tudo bem. Você e eu não estamos sozinhos neste mundo. Ações geram reações e é impossível controlarmos tudo. Mas podemos fazer a nossa parte: aceitando e continuando a caminhada, traçando novos caminhos, sem reclamação, mas com a gratidão de estarmos vivos, de podermos experimentar desse presente e contribuir com a essência que somos.

Como filhos do mesmo Criador, estamos todos dentro do padrão: um padrão divino! Aceito os ensinamentos divinos, pois acredito que eles nos oferecem gratuitamente o sentimento de plenitude, de contentamento, de paz e de muita felicidade! Você aceita?

Enfim, somos diferentes, mas, em um ponto somos iguais: ninguém é melhor nem pior que o outro. E por esse e por tantos outros motivos, você e eu somos muito especiais! Aceite o mundo, aceite as respostas, aceite as pessoas, aceite as cores e as flores, aceite-se. A felicidade que tanto desejamos está aqui, está aí, dentro de nós!

“Perfeição não é uma questão de padrão, mas de aceitação. As pessoas podem ser perfeitas quando as aceitamos como são” – Bruna Varzini

Até mais!

“Portanto, aceitem-se uns aos outros, da mesma forma com que Cristo os aceitou, a fim de que vocês glorifiquem a Deus” – Bíblia, Carta aos Romanos, capítulo 15, verso 7. 

“Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos, declara o ­Senhor. Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos; e os meus pensamentos, mais altos do que os seus pensamentos” – Bíblia, Isaías, capítulo 55, versos 8 e 9.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: