Dia das crianças

“Criança feliz
Feliz a cantar
Alegre a embalar
Teu sonho infantil”

Quais são as suas principais recordações do “dia das crianças”? 

No Brasil, o dia das crianças é comemorado no dia 12 de outubro, na mesma data em que se comemora o dia de Nossa Senhora Aparecida (padroeira do Brasil).

Esse dia era muito esperado e costumava ser uma grande festa para a Bruna e seus amigos. A paróquia da cidade disponibilizava um parquinho, onde as crianças dos centros de catequese da área rural iam para passar o dia.

Cedinho, a menina se levantava, se arrumava e ia até o ponto, junto com suas irmãs, para esperar pelo ônibus…um ônibus velho, tipo “circular’, o mesmo que a Bruna tomava para ir para a escola.

Dentro do ônibus, a Bruna encontrava seus colegas e crianças de outros bairros mais distantes. O veículo ficava lotado! Tinha sorte quem conseguia um banco para sentar-se. A maioria ia daquele jeito mesmo, em pé, segurando nas barras e se achegando uns nos outros.

O parquinho ficava no bairro da Santa Cruz, logo na entrada da cidade de Mogi Mirim, a uns 15 quilômetros da casa da Bruna. Lá, as crianças passariam o dia brincando em balanços, escorregadores, gira-gira e gangorras.

Ao chegar no local…nossa! Era mágico! A alegria era imensa! As crianças corriam igual formigas, doidas para brincar e se divertirem!

Naquela época, a menina e grande parte de seus amigos não tinham acesso à parques, nem parquinhos… Então, esse dia era realmente muito especial!

Além dos brinquedos, tinha um “palco”, uma carroceria de caminhão, onde alguns palhaços se apresentavam. Alguém bem animado fazia sorteios, jogava brindes, fazia anúncios e interagia com a criançada. E tinha muita música também! As crianças podiam subir no palco e dançar. Músicas da Xuxa, do Balão Mágico, do Trem da Alegria…e com toda certeza, a música que mais marcou esses momentos no “parquinho”, foi: Criança Feliz.

Criança feliz,
Feliz a cantar,
Alegre a embalar,
Teu sonho infantil.
Oh meu bom Jesus,
Que a todos conduz,
Olhai as crianças do nosso Brasil!

Crianças com alegria,
Qual um bando de andorinhas,
Viram Jesus que dizia:
Vinde a mim as criancinhas.
Hoje dos céus, num aceno,
Os anjos dizem: ”Amém”,
Porque Jesus, nazareno,
Foi criancinha também!

Na hora do almoço era servido pão com carne moída e aqueles deliciosos refrigerantes de garrafinha de vidro: Coca-Cola, Fanta e Sprite. Para muitas crianças, aquele seria o único dia do ano em que teriam a oportunidade de tomar um refrigerante…

Você já parou para pensar sobre isso: sobre como antigamente as coisas tinham mais valor?

As coisas simples eram muito valiosas, pequenos momentos eram eternos, as crianças sonhavam, as crianças amavam e cuidavam dos seus brinquedos, as crianças apreciavam as músicas e saboreavam as bebidas e alimentos.

Será que essa valorização era porque as coisas eram mais difíceis?

De fato, esses momentos eram raros, a gente sonhava muito antes de vivenciá-los. Quando a coisa de fato acontecia, tínhamos noção do tempo, da energia, do trabalho, do investimento feito para a realização daquele sonho ou objetivo. Sim, a vida e os acontecimentos tinham outros valores…

No final da festa, cada criança ganhava uma bola (às vezes um tanto torta, ovalada, a qual não rolava direito no chão). Tem criança que ia no parquinho só para ganhar a bola!

Imagina a alegria dos pequenos no retorno para suas casas! Eram muitas novidades e agora um brinquedo novo, para brincar ao longo de um ano, ou talvez, apenas nos próximos minutos… A bola era de borracha, bem fina, e com facilidade furava nos espinhos. Quando isso acontecia, a Bruna chorava muito, depois se conformava e aguardava ansiosa pelo próximo dia das crianças.

Ah, minha criança feliz…

Feliz porque aprendeu a sonhar,

Feliz porque aprendeu a esperar,

Feliz porque aprendeu a valorizar!

O teu canto me encanta,

A tua inocência balança…

A tua alegria gira…

A tua beleza contagia…

A tua pureza inspira…

Nesse parque,

Eu quero brincar com você,

Balançar, girar,

Escorregar, correr.

Quero que viva a missão de uma vida,

O amor e a liberdade,

A alegria e a amizade!

Mostra-me o teu valor,

Ensina-me os passos dessa dança,

Desenha o meu caminho com um giz,

Pois eu desejo ser como você:

Minha criança feliz!

 

“Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos e não os estorveis de vir a mim, porque dos tais é o Reino dos céus” – Bíblia, Evangelho de Mateus, capítulo 19, verso 14.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: