Histórias em canções

“When the working day is done
Oh girls they wanna have fun
Oh girls just wanna have fun”

Qual é a importância da música na sua vida?

A vida da menina é uma canção. Com altos e baixos, às vezes calma, às vezes agitada, às vezes forte como o som de um tambor, às vezes intensa como o som de uma guitarra… Com palavras…com muitas palavras que contam histórias e expressam sentimentos.

A música sempre fez parte da vida da Bruna. O pai, quando jovem, gostava de cantar e tocar violão junto com o irmão. Ele contava que gostava de ir aos bailes e dançar a noite toda. A mãe sempre gostou de cantar. A menina se lembra da mãe cantarolando enquanto trabalhava: “Era um garoto, que como eu, amava os Beatles e os Rolling Stones…”

O rádio ficava ligado o dia todo e, por meio dele, a família ouvia as notícias da região, orações na hora do almoço, e um bom sertanejo raiz no final do dia: “Sou aquele canarinho que cantou em seu terreiro…”

A Bruna sempre gostou de brincar de ser cantora e dançarina. Ela queria ser uma dançarina profissional! 

A menina nunca teve preferência por algum ritmo. Sempre ouviu um pouco de tudo, o importante era que a música despertasse bons sentimentos. Ouvia músicas infantis do Trem da Alegria, Xuxa, Angélica, Eliana, Turma do Balão Mágico, entre outras. Gostava do sertanejo raiz, como Liu e Léu, e dos românticos, como Gian e Giovani.

Lá no sítio, sempre que chovia, acabava a força… E esta demorava algumas horas para se restabelecer. Às vezes a energia elétrica voltava só no dia seguinte e, quando isso acontecia, o pai cantava. Como era gostoso ouvir o pai cantando “O Rei do Gado” e “O Rei do Café”. Você conhece essas músicas?

No catecismo, a menina gostava de cantar: “Quando o espírito de Deus se move em mim, eu luto como o rei Davi”. As irmãs eram catequistas e tinham livros de louvores. Nas rezas, a Bruna gostava de cantar alto e admirava-se com a voz forte e afinada dos vizinhos, que faziam parte do coral da igreja. Juntas, as famílias cantavam: “Senhor, tu me olhaste nos olhos, a sorrir, pronunciaste o meu nome. Lá na praia, eu larguei o meu barco, junto a Ti buscarei outro mar”.

A menina também se lembra de quando ia para a igreja junto com a prima. Elas ficavam conversando e cantando: “Camila, Camila…” (Lembra, Paulinha?)

Quais músicas marcaram a sua infância?

Embora a Bruna gostasse muito de música, ela nunca fez aula de canto e também não aprendeu a tocar nenhum instrumento. Também não fez aula de dança, mas dançou muito! Muito mesmo! Na escola, ela montava as coreografias e dançava com as amigas. Dentre os ritmos, estavam o country e o axé.

Influenciada pela Rô, sua irmã, a Bruna também gostava de música pop, eletrônica, baladas…ela se lembra da primeira vez que ouviu a rádio “Jovem Pan”. A irmã descobriu com as amigas… À noite, pegou o rádio, levou para o quarto e sintonizou! A partir daí elas passaram a ouvir a rádio todos os dias.

E a lambada? A Bruna colocava o top e a saia, com estampas de frutas e dançava com a irmã: “Chorando se foi, quem um dia só me fez chorar”.

E o rock nacional? Esse ritmo marcou muito: Titãs, Paralamas do Sucesso, Biquíni Cavadão, Barão Vermelho, Engenheiros do Havaí… E o rock internacional também: Elvis Presley, Beatles, Michael Jackson, Bee Gees…

Talvez você esteja se perguntando: uma criança ouvia tudo isso? Sim, a Bruna ouvia e curtia diversos estilos de música. E, com toda certeza, essa diversidade influenciou na sua sensibilidade e criatividade.

O que será que as crianças têm ouvido e curtido nos últimos tempos?

Além de ouvir, cantar e dançar, a Bruna gostava de fazer músicas. Suas músicas contavam os seus pensamentos, os seus sentimentos. Algumas estão registradas neste blog, Diário da Minha Essência, na seção “Escritos da adolescência”.

Nas histórias da menina, sempre tem uma música. E, em cada música, uma história a ser contada. Se a menina escrevesse um livro, é bem provável que seria um livro musical: com melodia, harmonia, ritmo… Recheado de sonhos e de muito amor!

Mas, afinal, o que é a música?

Me conta com um canto,

Me move com um balanço,

Me leva no seu encanto.

Explicar, eu não sei,

Sei que vivo nela,

E ela vive em mim.

Somos um, eu e ela,

Atravessando a passarela,

Da história de uma vida sem fim.

 

“Aplaudi com as mãos, todos os povos; cantai a Deus com voz de triunfo. Porque o Senhor Altíssimo é tremendo e Rei grande sobre toda a terra” – Bíblia, Salmos, capítulo 47, versos 1 e 2.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: