“Chininho”

“Ah, se tu soubesses
Como sou tão carinhoso
E muito e muito que te quero
E como é sincero o meu amor
Eu sei que tu não fugirias mais de mim”

É bem provável que você esteja se perguntando: quem ou o que é o “Chininho”?

A Bruna era pequena, muito pequena, quando a mãe costumava usar uma certa blusa nos dias frios. Era uma blusa de frio muito especial: na cor verde, com listras brancas e pretas nas mangas, e o principal: era de veludo. Como era bom ficar grudada na mãe, sentindo a textura macia da sua roupa e o cheiro do seu carinho…!

Aquela textura macia acariciava e confortava os pensamentos da menina. Logo, a Bruna começou a dormir com a blusa todas as noites. Antes de se deitar ela pegava a chupeta e o “Chininho”, esse foi o nome dado para aquele tecido, para aquela blusa…algo tão especial para a pequena.

Você teve algo assim na infância? Talvez uma fralda, um travesseirinho, um ursinho, um brinquedo…algo do qual você não queria se desgrudar? Algo que te ajudava a dormir? Algo que te ajudava a sentir-se melhor?

Por algum motivo a menina escolheu aquela blusa para ser o seu amigo… Quando estava com medo, abraçava o Chininho… Quando estava doente, abraçava o Chininho… Quando estava com sono, abraçava o Chininho. Que grande amigo, que grande conforto!

Será que eu e você temos amigos que nos oferecem conforto nos dias difíceis? Alguém que nos faz companhia, que nos acolhe, que enxuga as nossas lágrimas? Alguém que fica ali, bem pertinho, até que as coisas fiquem bem? E, será que eu e você temos sido esse amigo para alguém? 

O Chininho fez companhia para a Bruna, durante muito tempo, até depois da fase da infância. Hoje, fisicamente, talvez não exista mais…mas estará sempre vivo em suas lembranças, porque um grande amigo, a gente nunca esquece!

Meu precioso amigo,

Meu grande companheiro,

Me abraça e me protege,

Me faz esquecer as dores,

E me faz reinventar as cores.

Que carinho! Que conforto!

Fica, apenas fica,

Sem dizer se estou errado ou certo.

Eu não seu explicar o que sinto…

Minhas lágrimas dizem o que preciso:

Preciso ter você por perto.

O macacão da imagem foi um dos mais belos presentes que a Bruna ganhou, da patroa da mãe. Um presente especial, de alguém especial, guardado com muito carinho!

 

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu darei descanso a vocês. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas” – Bíblia, Evangelho de Mateus, capítulo 11, versos 28 e 29.

“Como é precioso o teu amor, ó Deus! Os homens encontram refúgio à sombra das tuas asas” – Bíblia, capítulo 36, verso 7.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: